terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Irmãos Piologo na reinauguração da Abraão Games

A Abraão Games vai inaugurar no próximo domingo, dia 15, às 14:00, a expansão da loja física e o evento vai contar novamente com a presença dos Irmãos Piologo, a famosa dupla do Mundo Canibal responsável pelos vídeos do Partoba, animações como Avaiana de Pau e recentemente o programa Mundo Canibal TV veiculado no Multishow.

Os Piologo irão apresentar mais um "Dia de Retarda" onde irão atestar a qualidade da marca e dos produtos da Abraão Games junto aos fãs e clientes e depois continuarão com uma apresentação do trabalho deles com animações e vídeos na internet. Após o show, os Irmãos Piologo estarão disponíveis pra fotos e autógrafos para os fãs.

Serão realizados durante o evento sorteios de brindes para os clientes presentes e a loja ficará aberta com preços promocionais em vários produtos. A expansão da loja física da Abraão Games visa atender melhor os clientes oferecendo uma variedade maior de produtos como consoles da nova geração, produtos relacionados ao mundo gamer e mais opções para quem prefere jogar em computadores.

Contamos com sua presença! Venha se divertir conosco!


Confira um vídeo da apresentação dos Irmãos Piologo na inauguração da nova loja da Abraão Games em julho passado clicando aqui.


Mais informações sobre os Irmãos Piologo:



sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Viver e morrer em Los Santos - Review GTA V

Grand Theft Auto V é um dos melhores jogos dos últimos anos. Não seria nenhum exagero dizer que provavelmente GTA VI também será um dos melhores jogos de sua época da mesma forma que GTA IV foi quando lançado em 2008. A Rockstar conquistou o mérito quando definiu os padrões necessários pra um jogo de mundo aberto ao lançar GTA III. Raras são as vezes que um jogo define todo um estilo e esse é o caso com a série GTA.


Dito isso, tenha em mente que GTA V manteve a tradição de abandonar boa parte do que não funcionou nos jogos anteriores, juntar tudo que melhorou e inovar, dessa vez trazendo a possibilidade de se jogar com 3 protagonistas, os carismáticos Michael, Franklin e Trevor. Existem alguns problemas aqui e ali como a mira truncada, a dificuldade dos controles ao pilotar helicópteros e aviões e os sempre presentes bugs e glitches que acabam consertados logo após o primeiro mês com o jogo lançado mas nada disso tira o brilho e a grandeza do jogo. Os gráficos do jogo são excepcionais e consomem todo o potencial dos consoles da atual geração, por mais que alguns personagens ou texturas não estejam tão detalhados e algumas sombras insistam em aparecer com serrilhados, vale lembrar que o mapa do jogo é vasto e praticamente sem nenhum loading além do loading inicial. The Last of Us pode ter os gráficos mais bonitos entre os jogos lançados em 2013 mas mesmo assim, não há como comparar a magnitude de ambos no que se refere ao tamanho dos cenários em GTA V. No que se refere aos controles, o jogador deve ter muita paciência ao aprender a pilotar aviões e helicópteros, os controles são um pouco truncados e exigem uma perícia maior que a exigida ao dirigir um carro, por exemplo.



GTA V é uma grande referência à cultura pop desde a conquista que se ganha ao fechar o modo campanha lembrando o clássico Viver e morrer em Los Angeles do diretor de Exorcista, William Friedkin, ao estilo do gameplay pra cada personagem. Os filmes nos cinemas, os programas na TV, as várias opções de rádios, as situações com os personagens do jogo, tudo remete a alguma referência na cultura pop seja com filmes policiais e todos os seus clichês até paródias das animações da Pixar (vá ao cinema conferir!), vale até mesmo tiradas com o seriado Breaking Bad. A trilha sonora emula o clima visto em GTA Vice City que já trazia muito do seriado dos anos 80, Miami Vice, repetindo com isso um ciclo sem fim de autorreferências, algo que deixaria alguém como o diretor Quentin Tarantino orgulhoso. A música frenética que embala o prólogo do jogo em Nova Yorktown no roubo ao banco por Michael e Trevor é só uma das muitas compostas pelo grupo Tangerine Dream que trazem o clima do jogo.


Jogar com o Michael remete diretamente ao clima dos filmes policiais dos anos 80 e 90, deixando a impressão de que a qualquer momento iremos encontrar o carismático Axel Foley (Eddie Murphy) de Um tira da pesada ao andar por Los Santos, ele ou mesmo a dupla Riggs (Mel Gibson) e Murtaugh (Danny Glover) de Máquina Mortífera. Os diálogos, as rádios, tudo remete ao clima da época em que o personagem insiste em reviver, até os ternos com ombreiras que Michael usa lembram as roupas de Sonny (Don Johnson) e Tubbs (Phillip Michael Thomas) em Miami Vice. A família problemática de Michael já remete ao seriado da HBO, Os Sopranos, onde os problemas ao redor de um gangster eram o destaque na narrativa. Vale destacar o jogo favorito do filho do Michael, Jimmy, o "Call of Duty" genérico chamado Righteous Slaughter, notem a propaganda do jogo nas rádios destacando que o jogo tem uma versão lançada por ano e vocês vão sacar a piada.



Franklin é o personagem padrão de GTA, o garoto de gangues que quer subir na vida, que conhece as ruas, sabe como se virar nelas e que de esquema em esquema acaba encontrando alguém pra ajudar ele em sua ambição. Ao jogar com o Franklin vemos as ruas, a periferia e sua cultura com o hip-hop e raps rolando soltos nas rádios, diálogos cheios de gírias e coadjuvantes excepcionais como o grande Lamar, parceiro das quebradas de Franklin. Um ponto interessante da trama de Franklin e uma das muitas críticas à crise econômica vivida nos EUA que o jogo traz é quando o jogador controla Franklin pela primeira vez. Ele e o parceiro Lamar recuperam carros comprados a juros altíssimos de pessoas que compram na base do impulso sem perceber as condições abusivas do negócio feito e não dão conta de pagar as prestações, algo recorrente nos EUA nos últimos anos. Essa e muitas outras situações da vida real estão presentes no jogo, algumas mais sutis outras muito mais escancaradas.



O paranoico Trevor já traz outro tipo de referência ao jogo, sua entrada quebra o ritmo da narrativa bem no ponto em que a parceria entre Michael e Franklin está dando frutos, logo após o primeiro grande assalto do jogo. Trevor lembra os "caipiras" nos EUA, os rednecks com seus maneirismos e hábitos como por exemplo, caçar. Muito do personagem lembra elementos da série Breaking Bad tais como os surtos de violência, o trabalho com as meta-anfetaminas ou mesmo o ambiente onde ele vive, coincidência ou não, ele mora em um trailer. Muito do carisma do personagem surge ao longo do jogo quando o jogador percebe os motivos pra todos os problemas de Trevor e o quão estranhamente direto e honesto ele pode ser. A personalidade explosiva dele transparece nos diálogos e na trilha cheia de metal das rádios que Trevor escolhe ao dirigir.



GTA V pode ter muitos clichês em sua trama mas isso é o que se espera dos filmes de ação, mesmo os clássicos como Bullit e Operação França tinham vários clichês nas tramas. O interessante de GTA V está nas referências, nas críticas e na diversão que se tem ao poder trocar de personagem a qualquer momento durante o jogo. O vasto mundo aberto enche o jogador de opções caso queira fugir das missões principais ou mesmo as secundárias, você pode comprar desde um dos cinemas até o campo de golfe em Los Santos, pode praticar tênis, ioga, tiro ao alvo, participar de corridas e até mesmo pedir uma dança privada no bar das strippers. É impressionante o número de detalhes mostrados em Los Santos desde os diálogos dos personagens que andam pelas ruas até as reações dos mesmos personagens quando começa uma chuva e eles procuram abrigo ou mesmo quando fogem ao ouvir a sirene da polícia.



O novo GTA é um dos jogos favoritos ao prêmio do jogo do ano em 2013 e não é por acaso, mesmo quem não gosta do estilo do jogo ou não é fã da série, corre sérios riscos de gostar do novo GTA, tamanha a liberdade que o jogo oferece ao jogador. Se você quer uma dica de um jogo que vai render muitas horas de diversão na campanha e ainda mais horas no multiplayer, GTA V é a pedida ideal.


GTA Online

O modo online entrou em operação no começo de outubro com vários problemas de conexão, bugs e até mesmo perdas de personagens. Infelizmente essa é uma realidade constante em lançamentos desta magnitude e nenhum review pode fazer justiça aos problemas enfrentados no começo do multiplayer de jogos assim, é sempre necessário um tempo pra que os devidos ajustes sejam feitos pra que a conexão melhore bem como atualizações que corrijam os bugs e problemas com personagens. Dito isso, GTA Online está de parabéns já que agora está funcionando bem melhor, inclusive com o conteúdo Beach Bum Pack distribuído gratuitamente aos jogadores, trazendo novos carros, armas e opções pro modo multiplayer. A Rockstar ainda está disponibilizando um reforço de U$500 mil em dinheiro no jogo pra ajudar os jogadores iniciantes. Em novembro começam os eventos que prometem juntar as gangues em missões especiais em Los Santos, tudo pra manter o multiplayer do jogo em alta com os jogadores. O jogador pode alternar pro modo online a qualquer momento na campanha e criar seu personagem ao seu gosto, feito isso o jogador pode escolher o que fazer nas ruas de Los Santos, o lance é ganhar dinheiro e investir no mundo do jogo que permite a compra de imóveis, veículos, armas, tudo o que estiver à venda em Los Santos.



terça-feira, 29 de outubro de 2013

Festas de lançamento de Battlefield 4 e Call of Duty: Ghosts

A disputa entre as duas franquias anda tão acirrada que a Abraão Games decidiu contemplar os clientes com não apenas uma mas duas festas de lançamento pra essas duas franquias tão amadas pelos fãs. Ambas as festas começam 23:00, a de Battlefield 4 no dia 3 e a de Call of Duty: Ghosts no dia 4.

Pronto pras festas?

Teremos várias atrações pra quem comparecer, além da entrega dos jogos, claro. Uma das atrações é a gincana de tiro ao alvo onde quem acertar o alvo ganha um prêmio pelo acerto ou continua tentando, se acertar o próximo alvo, ganha o prêmio seguinte e assim por diante até o maior prêmio mas se errar, perde tudo. O lance então é parar e levar o prêmio ou arriscar um prêmio maior e contar com a própria capacidade de mirar bem. Cada participante só terá uma chance, ou seja, perdeu o tiro, passa pro próximo. Será que você se garante?

Desafio aos bons de mira!

Os prêmios do tiro ao alvo serão revelados em breve, bem como maiores detalhes de ambas as festas. Só não podemos entregar tudo porque senão estragamos as surpresas! Aguardem maiores novidades, nós atualizaremos o post assim que tivermos permissão do nosso comandante pra divulgar os segredos das festas, fiquem atentos!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O que torna alguém um vencedor

Sábado, 5 de outubro, tem campeonato de Fifa 14 na Abraão Games. Até aí tudo bem, certeza de casa cheia e galera animada, pronta pra se divertir jogando, fazendo novas amizades, celebrando o espírito competitivo. Só que dessa vez, vai ser um pouco diferente. Assim como em julho de 2011 no campeonato de PES do mesmo ano, contaremos com uma participação mais que especial, uma lição pra todos nós que amamos tanto jogar videogames: no campeonato do próximo sábado, contaremos com a participação do Alexandre Garcia Palhares.

O Alexandre tem Fibrodisplasia Ossificante Progressiva. De acordo com a Wikipedia, a Fribriodisplasia Ossificante Progressiva (conhecida por FOP; termo médico: Fibrodysplasia Ossificans Progressiva) é uma doença genética rara que causa a formação de ossos no interior dos músculos, tendões, ligamentos e outros tecidos conectivos. Pontes de ossos "extra" se desenvolvem através das articulações (juntas do corpo) restringindo progressivamente os movimentos. Na FOP, o corpo não somente produz muitos ossos, mas um todo um esqueleto "extra" é formado, envolvendo o corpo e prendendo a pessoa em uma prisão de ossos.

Há 6 anos o Alexandre perdeu os movimentos das pernas e há 4 os dos braços e mesmo assim isso não o impede de participar de um campeonato como o de sábado. Porque mesmo com toda a dificuldade que alguém nessa condição poderia ter, ele tem o que mais importa: a vontade de participar. O Alexandre é um exemplo pra todos nós, uma prova que seja você alto, baixo, magro, gordo ou mesmo tendo uma condição rara como a dele, com um controle na mão, somos todos iguais. A paixão é a mesma.

Todos podemos ser heróis seja na vida real ou em um mundo virtual mas poucos conseguem ser exemplos. Esse é o caso do Alexandre, não por causa da condição dele ou da comoção que você pode estar sentindo ao ler sobre a história dele, o Alexandre é um exemplo porque nada, nem o medo de perder ou tampouco a condição dele impedirão ele de participar. E é aí que nasce um vencedor. Pouco importa o resultado do campeonato sábado, o que importa é que você leitor, faça como o Alexandre, seja um vencedor e participe. Não se deixar desanimar é a maior vitória que podemos ter na vida.

De todos aqui na Abraão Games, um parabéns ao Alexandre! Obrigado por nos motivar a manter a paixão de vencedores como você!


Esse é o Alexandre, o herói da nossa história, com sua medalha por mérito pela participação no campeonato de PES 2011

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Campeonato de PES 2014 da Abraão Games: Entenda como vai funcionar

Nesta sábado dia 28 de setembro de 2014 faremos o campeonato do novíssimo Pro Evolution Soccer 2014 (PES 14) para a plataforma Playstation 3 na loja Abraão Games. Teremos 3 categorias com 16 vagas cada, são elas: Infantil até 13 anos, casual e profissional. O valor da inscrição é de R$ 5,00 (Cinco reais) para as categorias infantil e casual e R$ 20,00 reais para a categoria profissional. As inscrições podem ser feitas na loja Abraão Games ou pelo
Cada competidor deve trazer o seu controle de Playstation 3.

Detalhes:
Categoria Infantil
Inicio: 14:00 horas
Vagas: 16
Valor da Inscrição: R$ 5,00
Times: Clubes e Seleções
Premiação:
                1º Lugar:  Blu-Ray Fime : Liga da Justiça - Doom A legião do Mau
                2º Lugar Teclado Clone ABNT 2 Com conexão USB
                3º Lugar Jogo para PC: Word of Warcraft (Totalmente em Português)
Regras: Nesta categoria esta livre utilizar de formação tática e ajuste do time.


Categoria Casual
Inicio: 16:00
Vagas: 16
Valor da Inscrição: R$ 5,00
Times: Clubes e Seleções
Premiação:
                1º Lugar:  Blu-Ray Fime : Liga da Justiça - Doom A legião do Mau
                2º Lugar Teclado Clone ABNT 2 Com conexão USB
                3º Lugar Jogo para PC: Word of Warcraft (Totalmente em Português)
Regras: Nesta categoria não é permitido alteração na formação e táticas dos times. Apenas sentar e jogar.


Categoria Profissional
Vagas: 16
Inicio as: 18 horas
Valor da Inscrição: R$ 20,00
Times: Clubes e Seleções
Premiação:
                1º Lugar: Controle novo do PS3 ou Xbox no valor de R$ 179,90
                2º Lugar: Óculos escuro Call of Duty Black Ops II Oficial
                3º Lugar: Mousepad Steel Series do Wow

Regras: Nesta categoria esta livre utilizar de formação tática e ajuste do time.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Lançamento de GTA V

Na próxima quarta, 18/09, 23:00, a Abraão Games fará o lançamento do jogo Grand Theft Auto V. GTA V foi anunciado oficialmente pela Rockstar em outubro de 2011 pra Playstation 3 e XBOX 360 e vai ser o primeiro jogo da série a contar com 3 protagonistas jogáveis: Michael, Trevor e Franklin, cada um com diferentes mecânicas de jogo variando com seu perfil e habilidades.

GTA V se passa na fictícia Los Santos, cidade inspirada em Los Angeles e terá um vasto mundo aberto que, ao contrário dos jogos anteriores, poderá ser explorado na íntegra pelo jogador desde o começo. Como já é de costume na série, o mundo aberto do jogo permitirá o jogador a realizar uma série de atividades fora das missões principais como jogar golfe, praticar yoga ou mesmo investir na fictícia bolsa de valores do jogo.

O evento de lançamento terá atrações variadas como cosplay com poledance, estandes com todos os jogos da série disponíveis para o público presente jogar, incluindo o novo episódio, sorteios de brindes, djbarman free, um carro cheio de brindes com um cadeado pra quem conseguir abrir ganhar os prêmios e muitas outras surpresas que só quem comparecer vai poder curtir.

Pra abrir o carro com os brindes é simples, será formada uma fila, cada um poderá pegar uma chave, quem der sorte de pegar a chave certa pra abrir o cadeado, vence os brindes que estiverem dentro do carro mas só comparecendo na festa pra saber quais as surpresas!

A entrada é gratuita e menores de 18 anos devem estar acompanhados de responsáveis! Não precisa necessariamente ter comprado o jogo pra participar do evento ou das promoções, compareçam!


Sobre o evento:

O quê?

- Lançamento de GTA V no Brasil para PlayStation 3 e XBOX 360.

Quando?

- Quarta-feira, a partir das 23:00.

Onde?

- Na loja física da Abraão Games na Rua Artur Jorge, 1833 - Loja 15.

Atrações?

- Cosplayers, dj, barman free, estande com jogos anteriores e o novo episódio pra teste pro público, sorteio de brindes surpresa, carro com brindes secretos pros presentes tentarem abrir e outras atrações a serem reveladas durante o evento.





GTA V está disponível pra compra em:

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Lançamento mundial de Diablo III pra consoles na capital

Na próxima terça-feira (3/9), Diablo III chegará aos consoles PlayStation 3 e XBOX 360 de todo mundo, inclusive no Brasil. Para comemorar esta data, no dia 2 de setembro, a partir das 20 horas, a Blizzard em parceria com sua distribuidora, a NeoPlay, organizarão eventos simultâneos em 12 cidades do país.


Além de servir como ponto de encontro para os heróis brasileiros de Santuário, os eventos serão a última oportunidade para os jogadores adquirirem o game na pré-venda e ter acesso aos brindes exclusivos do jogo.


Confira a seguir as demais informações dos eventos:


O quê?


- Comemoração do lançamento mundial de Diablo III para PlayStation 3 e XBOX 360.


Quando?


- Segunda-feira, 2 de setembro de 2013, a partir das 20 horas.


Atrações?


- Distribuições de brindes, demonstrações do jogo em monitores, videogames com o jogo pra teste e cosplayers.



segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Campeonato de FIFA 13 agita fim de semana na Abraão Games

Quem passou pela Abraão Games neste último domingo, dia 25, pode conferir verdadeiras feras no Campeonato de FIFA 13. Com talento, garotos de Campo Grande e do interior do Estado se enfrentaram em um dia inteiro de competições e muita festa.


Foram 64 jogadores participantes, divididos em 16 grupos, cada um com 4 jogadores e todos se enfrentaram. O primeiro e o segundo colocados de cada grupo se classificaram para as oitavas, quartas, semifinais e a esperada final, que ficou entre João Felipe e Geovane Britto.


De Sidrolândia, os irmãos Maicon e Ezequiel Gabardo e mais cinco participantes fizeram questão de participar do evento que, além do dia de competições ofereceu um tradicional arroz carreteiro e muito sorvete na faixa. As torcidas estavam super animadas e concentradas nos jogos, tanto que a mais organizada e alegre ganhou uma pizza como prêmio.



Depois de mais de 8 horas de competição, ficaram no pódio, Caio Possari em terceiro lugar que levou um FIFA 14 para casa, Geovani Britto em segundo, que ganhou um Nintendo 3DS,  e o grande campeão João Felipe, sortudo que faturou um PS Vita e um super troféu! Além disso, Geovani Britto levou também o troféu de artilheiro da competição, com 22 gols!










sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Rastros de um clássico




Os grandes faroestes do cinema sempre contaram com boas tramas, cenários grandiosos, uma trilha sonora épica e um protagonista cativante, rodeado de coadjuvantes marcantes e um ou mais antagonistas igualmente destacados. Descrever a trama de Red Dead Redemption como um filme, a busca de John Marston pela redenção pelo passado nebuloso num cenário que vai do Texas ao México encontrando figuras como a fazendeira Bonnie MacFarlane ou o revolucionário Abraham Reyes, não seria nada incoerente. Até mesmo porque além de todos esses fatores estão presentes a trilha sonora e os antagonistas marcantes. Todavia, Red Dead Redemption é um jogo, um dos melhores de sua geração.


Quando anunciado pela Rockstar, na época do grande sucesso de GTA IV, muitos esperavam um “sucessor espiritual” de GTA só que dessa vez, no velho oeste. Mas Red Dead Redemption é muito mais que um sandbox de época, é uma experiência interativa completa com um gameplay sólido e uma narrativa digna de cinema. Na verdade, Red Dead Redemption é o sucessor espiritual de outro jogo, o clássico de Playstation 2, Red Dead Revolver!


O jogo usa a engine Rage e o sistema de física Euphoria que, após as devidas atualizações e correções depois do lançamento, garantem maior realismo na movimentação dos personagens e nas mecânicas de jogo. O jogador, na pele de John Marston, pode jogar pôker, apostar no arremesso de ferraduras, aceitar duelos tradicionais, caçar foras-da-lei, domar cavalos selvagens, trabalhar em fazendas e uma série de outras atividades que o mundo aberto do jogo permite. Isso sem falar em salvar donzelas indefesas, ou mesmo ser vítima do golpe de alguma não tão indefesa.


Como se não bastasse, o jogo ainda contém um componente multiplayer com modos de jogo que permitem até 16 jogadores em modos competitivos e cooperativos. Um dos modos, o free roam, permite o grupo explorar o mapa do jogo na íntegra formando bandos, realizando saques, fazer o que o jogador bem entender.


Contar mais sobre a trama do jogo seria um crime já que o grande atrativo do jogo, além da liberdade de sempre dos mundos abertos da Rockstar, é a jornada do protagonista John Marston em sua busca por redenção, como bem diz o nome do jogo. Já se passaram 3 anos do lançamento desse clássico, mas nunca é tarde pra quem ainda não conhece o jogo descobrir o motivo pra tantos elogios pro excepcional faroeste da Rockstar.


Vale a pena aproveitar a promoção da Abraão Games, Red Dead Redemption está saindo R$69,90 tanto na versão de PS3 como na de XBOX 360.


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Regulamento para Campeonato de Dia dos Pais - Fifa 13

Dia: 10/08/2013

Formato do circuito:
- Plataforma: PLAYSTATION 3
- Tipo de Eliminatória: Grupos - Os 2 melhores de cada grupo vão para a próxima fase.
- Forma de Disputa: 1 PARTIDA
- Duração da Partida: 6 MINUTOS
- Apenas clubes e seleções
- Substituições: 3
- Prorrogação: Sim
- Penalty: Sim
Fonte: CBFDV

Regras:
Só serão aceitas duplas compostas por pai mais filho ou filha;
Poderá escolher qualquer time;
Não é permitido trazer Pen-drive para carregar as formações táticas;
Não será permitido fumar e nem consumir bebidas alcoólicas no recinto da competição;
Cada participante deverá trazer seu próprio controle do Playstation 3;
As partidas serão disputadas em horários já pré-definidos pela organização que deverão ser respeitados e
cumpridos. Tolerância de 10 minutos, caso contrário perderá por W.O;
Durante as configurações cada participante terá 3 minutos;
Só poderá pausar o jogo com a bola parada;
Todos os parâmetros de táticas e comandos podem ser ajustados individualmente. O jogo pode ser pausado 3 vezes por cada jogador. Para bem do Fair Play, desqualificaremos qualquer pessoa que pause o jogo durante a partida;
Em caso de empate terá prorrogação classic e em seguida pênalti.
Durante uma partida oficial, os jogadores não poderão se comunicar com pessoas não envolvidas na mesma, como pais ou torcida em geral, mesmo quando houver pauses no jogo.
As pessoas envolvidas na partida são os jogadores e os juízes.
Os jogadores não devem sair de um jogo oficial em progresso, com exceção quando autorizados pelos juízes.
Caso acabe a energia elétrica durante o jogo, ou o console trave por qualquer motivo, será iniciado outro jogo com o placar da partida que estava em andamento antes da falta de energia ou travamento do console. Se a partida estiver no segundo tempo, será jogado apenas um tempo, também com a manutenção do placar anterior. 
Bom comportamento
Não descriminar ou tratar injustamente qualquer adversário ou pessoa envolvida com a competição. 
Aceitar as decisões dos organizadores da competição. 
Não usar procedimentos ilegais ou desleais. 
Respeitar o espírito de fair play e não violência. 
Manter seu compromisso dentro de suas condições. 
Não desistir ou interromper o bom andamento das partidas. 
Não enganar ou iludir os organizadores da competição.
Não interferir ou se comunicar com outros competidores jogando uma partida oficial. 
Não fumar e ingerir qualquer tipo de bebida alcoólica ou substância entorpecente durante a competição. 
Conter o uso de linguagem vulgar quando estiverem dentro da área do torneio, sendo certo que desafiar ou ironizar os competidores é terminantemente proibido. 
Após o término de cada partida, remover seu controle e sair imediatamente da área de jogo(o juiz deve resetar o controle)
Advertências e Penalidades
Os juízes darão advertências e punições aos jogadores durante toda a competição através de cartões que serão assim compostos: 
Cartão Branco – advertência por desrespeito ao regulamento do campeonato e alerta para que não continue com a mesma atitude. 
Cartão Amarelo – punição com um gol contra(não precisa ser no jogo, apenas anotado no papel) por praticar atitude antidesportiva leve ou ter cometido mais de uma vez a mesma infração, já anteriormente advertida pelo juiz de sua partida. 
Cartão Vermelho – desclassificação do campeonato por atitude antidesportiva ou por ter cometido três vezes a mesma infração. 
O Cartão Branco* de advertência será aplicado nas seguintes situações:
Ao jogador que fizer "CERA" de qualquer natureza, em qualquer parte do campo, trocando demasiados passes ou segurando a bola, não mostrando objetividade ou procurando gastar o tempo. 
Quando o jogador conversar no decorrer de sua partida com intenção de distrair o adversário ou com pessoas não envolvidas com a organização do campeonato, como membros de sua federação, pais, ou torcida em geral. 
Em lances que prejudiquem o andamento do jogo. Ex1: Troca de jogadores no tiro de meta, fazendo com que o time adversário recue. Ex2: Troca de constante de jogadores no mesmo escanteio ou falta com intuito de modificar o posicionamento da defesa adversária. 
Ao jogador que durante sua partida ficar com "choradeiras" exageradas, narrar o jogo, ou reclamar constantemente com os juízes. 
Ao jogador que desrespeitar os prazos estabelecidos para alterações na equipe, início e reinício das partidas, seja no primeiro tempo, na volta do intervalo ou após seus “pauses” por direito. 
* Os cartões brancos serão zerados após cada rodada. 
O Cartão Amarelo de punição será aplicado nas seguintes situações: 

Ao jogador que infringir por 2 vezes a mesma regra com teor de advertência (cartão branco). 
Ao jogador que se recusar em seguir as instruções dos oficiais do torneio durante suas partidas; 
Ao jogador que usar linguagem vulgar durante as partidas.** 
Ao jogador que paralise a partida com a bola em andamento principalmente em lances de ataque, prejudicando a continuação da jogada em lances direto de gol. 
Ao jogador que alterar a configuração das partidas sem autorização dos juízes. 
**Punição interpretativa. O juiz poderá julgar a infração como motivo de desclassificação do jogador, sem necessidade de cartão amarelo. 
O Cartão Vermelho de desclassificação será aplicado nas seguintes situações: 
Ao jogador que infringir por 3 vezes a mesma regra com teor de advertência (cartão branco), durante a mesma partida. 
Ao jogador que infringir por 2 vezes regras com teor de punição (cartão amarelo), na somatória de todas suas partidas. 
Aos jogadores que propositalmente tomarem WO ou combinarem resultados para benefício próprio ou de terceiros; 
Ao jogador que for flagrado alterando nota de jogadores, carregando option files proibidos, ou transferindo manualmente jogadores entre equipes e seleções.
Aos jogadores que ao estarem perdendo uma partida por mais de 3 gols de diferença, forçarem a expulsão de seus jogadores ou abandonarem a partida, para que termine com um placar menor.
O placar da partida no momento da interrupção será mantido. 
Ao jogador que usar linguagem vulgar direcionada a adversários, pessoas envolvidas com o campeonato ou torcida em geral. 
Ao jogador que realizar gestos obscenos direcionados a adversários, oficiais envolvidos com o campeonato ou torcida em geral. 
Ao jogador que agredir ou tentar agredir adversários, oficiais envolvidos com a competição ou torcida em geral. 
Ao jogador que tentar enganar ou iludir qualquer oficial do torneio. 
Ao jogador que utilizar procedimentos ilegais ou desonestos. 
Ao jogador que tentar burlar ou utilizar-se de regras contraditórias ou não especificadas nesse regulamento, para benefício próprio. 
Muita atenção: 
Não serão toleradas brigas e discussões durante o campeonato. Caso houver, o caso será julgado pelo comitê organizador e os envolvidos serão convidados a se retirarem do local de disputa do campeonato e serão encaminhados para as autoridades competentes. Os envolvidos não terão direito a reembolso de nenhum valor gasto com sua participação no campeonato. Mesmo que não estejam jogando ou participando do campeonato e principalmente se forem jogadores ou membros das federações. 
Depois do estudo da infração pelo comitê organizador e pelo diretor do torneio, um jogador eliminado pode estar sujeito a sanções adicionais tais como múltiplas derrotas por falta, desqualificação, e ser banido da competição nos próximos 5 anos.
Um jogador desqualificado perderá automaticamente todas suas partidas por WO e o direito a prêmios. Caso o jogador seja desclassificado durante partidas de fases mata-mata, o adversário estará automaticamente classificado para a fase seguinte.

Fonte das regras: CBFDV : Confederação Brasileira de Futebol Digital

quinta-feira, 27 de junho de 2013

The Last of Us, a surpresa da Naughty Dog na despedida do Playstation 3

As melhores estórias de zumbis não giram em torno dos desmortos e sim dos sobreviventes. Isso vale desde o clássico absoluto de George Romero A noite dos mortos-vivos ao seriado de sucesso da Fox, The Walking Dead, baseado nas famosas HQs de Robert Kirkman. Quando a Naughty Dog, reconhecida pela série Uncharted, anunciou The Last of Us pra Playstation 3, muitos acharam que um Uncharted com zumbis estava a caminho. Eis que a Naughty Dog resolveu surpreender a todos, entregando uma trama épica, com protagonistas fortes e coadjuvantes profundos e que, tirando elementos de jogabilidade, muito pouco lembra a série de aventuras de Nathan Drake. O jogo pode ter bugs gráficos e de áudio bem como problemas inerentes à jogabilidade em jogos de tiro em 3ª pessoa mas todos esses pormenores acabam ficando em segundo plano perto do que The Last of Us representa.

Um Uncharted com zumbis ou uma grande surpresa?

Por mais que o destaque da narrativa seja voltado aos sobreviventes, The Last of Us entrega uma solução inovadora ao gênero: uma pandemia causada por um fungo que realmente existe, uma variação do Cordyceps, o Cordyceps Unilateralis. Esse fungo invade o sistema nervoso de insetos modificando seu comportamento em benefício do fungo parasita, tornando o inseto uma espécie de zumbi. A equipe da Naughty Dog teve a ideia ao assistir um documentário da série Planet Earth, eles só especularam a possibilidade do fungo sofrer uma mutação que passasse a afetar seres humanos. No universo do jogo, o fungo se reproduz através de esporos que infectam a pessoa e se instalam no sistema nervoso central, brotando de dentro pra fora, por isso o visual bizarro dos infectados, pessoas com "cogumelos" saindo de suas cabeças. A infecção se dá ou pela respiração do esporo do fungo em áreas contaminadas ou pela mordida de um infectado, tal como acontece com zumbis. A ideia do Cordyceps dá um novo fôlego criativo ao já desgastado gênero "terror com zumbis", renovando o conceito pra apresentar uma trama mais profunda não apenas pelos personagens mas pelos detalhes em torno da pandemia que dá ritmo à narrativa.

O efeito da infecção do Cordyceps Unilateralis em uma pobre aranha...

O jogo começa com um prólogo abordando o começo da pandemia do ponto de vista de Joel, um dos protagonistas, sua filha Sarah e seu irmão Tommy. Essa parte funciona mais como uma introdução aos personagens que uma fase tutorial propriamente dita, tanto que o jogador começa controlando a Sarah em busca do pai na casa da família. No fim do prólogo o jogador presencia a tragédia do passado de Joel, logo no princípio do caos generalizado causado pela pandemia, quando ele tenta fugir com a filha e o irmão. Joel vê sua filha Sarah morrer em seus braços sem poder fazer nada até que acontece um corte pra uma breve exposição do surto da pandemia durante os créditos iniciais do jogo, lembrando a abertura do remake de Madrugada dos Mortos, de Zack Snyder. Ficamos sabendo então que 20 anos se passaram e é verão quando conhecemos o sobrevivente e amargurado Joel, desgastado pelo tempo, sisudo e quieto, ao contrário de sua nova parceira Tess, ativa e inquieta. Ficamos sabendo que eles levam a vida como contrabandistas em Boston, ganhando a vida com a escassez de recursos e mantimentos.

Joel e Tess

Logo de cara os fãs de Half-Life vão perceber que o jogo lembra muito o clássico da Valve. Enquanto Joel e Tess andam pelas ruas controladas pelos militares de Austin, os NPCs interagem entre si e com o jogador. Uma cena forte se passa logo que Joel e Tess saem de casa quando um grupo militar faz uma verificação em busca de infectados em um grupo de civis, um deles está infectado com o fungo e é prontamente executado com uma seringa por um dos oficiais enquanto outro tenta fugir e ali mesmo é fuzilado enquanto tudo que o jogador pode fazer com Joel é testemunhar o ocorrido. Se aproximar dos militares é pedir pra levar um empurrão e um aviso pra sair dali. Sutilmente o jogo informa que nesse futuro a pandemia foi contida pelos militares, que nessa sociedade detém o poder e mantém as cidades em lei marcial, contudo infectados aparecem aqui e ali e são prontamente eliminados sem cerimônia, quem reage é prontamente executado. Instantes depois acontece um ataque dos Vagalumes, um grupo rebelde que enfrenta os militares e se oferece como alternativa ao governo ditatorial, declarando buscar uma solução pra pandemia.

A presença dos militares é uma das ameaças constantes no jogo

Passado o breve tutorial e enfrentados os primeiros inimigos conhecemos a outra protagonista do jogo, Ellie. Uma adolescente comum, inocente e feliz mas determinada a cumprir sua missão, perfil que aos poucos vai mudar drasticamente ao longo da jornada. A partir do encontro dos protagonistas o jogo se revela praticamente um road movie já que de agora em diante a jornada de Joel e Ellie dita os acontecimentos até o final do jogo. O percurso da dupla começa em Boston, passa por Pitsburgh, Salt Lake City e volta ao fictício Jackson County, em Wyoming, no final, tudo ao longo das 4 estações do ano que passam em sua jornada. Tudo que pode se dizer sem entregar spoilers da trama é que a dupla encontrará situações inesperadas seja com outros grupos de sobreviventes ou mesmo infectados. O jogo é tenso, com um clima infeliz e não vai poupar o jogador de momentos difíceis ou dar fôlego pra se recuperar dos acontecimentos chave do jogo nas praticamente 20h de jogo. A relação entre Joel e Ellie é o ponto chave da trama e representa a busca de Joel por redenção com o próprio passado trágico. É interessante notar o cuidado com os diálogos da dupla e como a relação entre Joel e Ellie vai se desenvolvendo ao longo do jogo, mostrando a mudança de comportamento de um com o outro e o quanto eles dependem um do outro pra sobreviver até o final da jornada. Outro ponto interessante é perceber ao longo do jogo que o pior inimigo não é o fungo ou os infectados e sim os sobreviventes. Ponto pra Naughty Dog pela ousadia de colocar o quanto "os últimos de nós" podem tornar o mundo um lugar pior, mesmo após uma pandemia terrível dizimar boa parte da população.

Joel e Ellie em sua viagem pelo país

O jogo toma aspectos de um survival horror em ambientes fechados e escuros, com pouca munição e recursos, isso até quando de repente o ambiente aterrador e claustrofóbico muda pra uma paisagem exuberante cheia de vida com a natureza tomando conta do que restou das cidades por onde o jogador passa, quebrando com qualquer chance de rotular o jogo como um survival horror. Não há como enquadrar o jogo num nicho específico, o gameplay varia em diversas situações. O que se pode dizer é que a melhor linha de ação é evitar o confronto, seja com infectados ou sobreviventes hostis, quanto mais o jogador economizar munição, melhor, mas se o jogador optar por jogar como se estivesse jogando um jogo de ação frenética, tudo bem, a dificuldade aumenta com a escassez de recursos e a ferocidade dos ataques inimigos mas não é impossível tomar esse tipo de curso no gameplay. O melhor é seguir o que os personagens repetem ao longo da trama "faça cada bala valer a pena". The Last of Us não é um jogo fácil quer o jogador escolha evitar o confronto jogando furtivamente ou optar por enfrentar diretamente todos os inimigos.

É melhor evitar o confronto e ser furtivo que gastar a escassa munição no jogo

Entre os infectados, existem 3 variações básicas: o estágio inicial com os corredores que ainda são capazes de enxergar, os estaladores cujo fungo que brota de dentro do cérebro já tomou a cabeça fazendo com que eles percam a visão mas contem com uma audição aguçada, e os vermes cuja infecção se espalhou por todo corpo. Tanto os estaladores como os vermes podem matar o jogador de imediato, basta apenas se aproximar deles. E acredite, existem trechos repletos de estaladores à espreita. Os corredores também não facilitam, basta um pequeno grupo encurralar o jogador e a morte também é certa. Os vermes são raros mas quando aparecem dificultam muito pois são capazes de atacar à distância lançando esporos no jogador.

Os estaladores não perdoam, um erro significa voltar ao chckpoint anterior

Entre os oponentes humanos, os tiros causam um dano considerável e não basta tomar cobertura pra evitar as balas inimigas, em vários momentos enquanto se atira em um adversário, outro vem cercar o jogador e intensificar o ataque seja atirando também ou com armas brancas como tacos, facões ou canos. Por isso, quando o confronto é iniciado, melhor terminar logo com os adversários antes que apareçam mais reforços ou a situação só vai piorar.

Surpresa...

 O arsenal do jogo é bastante variado e pode ser atualizado com peças encontradas ao longo do jogo. Da mesma forma as habilidades também podem ser evoluídas seja com o aumento da saúde de Joel, da habilidade com a arma ou mesmo com a faca, permitindo se defender de estaladores sem que estes matem o jogador de imediato, facilitando um pouco os confrontos. Os itens como facas, medpacks e bombas podem ser construidos pelo jogador com pedaços que são encontrados no cenário. Além disso existem vários colecionáveis ao longo do caminho como pingentes dos Vagalumes, HQs pra Ellie, cartas de sobreviventes, mapas ou mesmo manuais que ajudam a aumentar dano nas armas ou a capacidade dos medpacks. O mais interessante é que pra fabricar itens, melhorar as habilidades, aplicar um medpack ou mesmo visualizar um colecionável, Joel para pra acessar sua mochila, ficando vulnerável enquanto estiver executando a ação podendo ser morto a qualquer momento caso tenha algum inimigo por perto. Isso aumenta ainda mais a tensão do jogo.

Acessar o inventário pode ser tenso

Mas nem tudo são flores e mesmo com todos esses pontos positivos, The Last of Us tem seus problemas. A dublagem em português brasileiro ficou muito boa, o problema é que o áudio tem problemas em vários momentos durante o jogo quando Ellie e Joel conversam. Pode se ouvir bem a fala do Joel mas quando ele está longe da Ellie mas mal se ouve a resposta dela, isso quando se pode ouvir. Fica impossível jogar sem legendas e entender tudo que os personagens falam só de ouvido. O problema é que as legendas nem sempre batem com a dublagem e em alguns momentos sequer foram traduzidas pro português. A situação das conversas não ajuda também quando se entra no modo furtivo pra eliminar um inimigo, por vezes a Ellie ou outros companheiros falam em situações inadequadas, entregando sua posição pro inimigo mesmo quando se planeja um ataque furtivo. Um exemplo disso é no cemitério, por mais que se mate a maior parte dos estaladores sorrateiramente com a faca, em um dado momento ou Bill ou a Ellie entregam sua presença, impossibilitando que se mate todos os estaladores da área furtivamente. Infelizmente não há um comando que faça com que os companheiros parem em um determinado local esperando. Também não são poucas as vezes em que um companheiro passa na frente de um inimigo e esse não faz nada, quebrando drasticamente a imersão no clima tenso do jogo.

Cuidado com os bugs! Companheiros tagarelas podem entregar sua posição aos inimigos!

Outro problema acontece quando se morre perto do próximo checkpoint e o jogo volta a partir dele, sem que se tenha passado da parte em que se morreu. Isso aconteceu durante o gameplay desse review em alguns pontos como no cemitério ao enfrentar um grupo de estaladores, quando o último deles conseguiu matar Joel, o jogo continuou da área seguinte, como se todos os estaladores tivessem sido mortos e o checkpoint tivesse sido alcançado. A sequência com a camionete também sofre com o bug, o Joel morre com um estalador antes de entrar no carro e ao voltar o checkpoint já aparece dentro da camionete. Isso também se repetiu no inverno, na parte em que se joga com a Ellie, durante um confronto com um inimigo chave da etapa, muitos jogadores tem tido o mesmo problema em outros momentos e isso atrapalha um pouco na busca por um desafio maior. Esse bug e os demais felizmente podem ser consertados com atualizações, o que é animador, visto que seria injusto depreciar o jogo em função de detalhes que podem e vão ser consertados.

Ellie em ação

Os gráficos são um dos pontos altos do jogo. As expressões de Joel, Ellie e de todos os demais coadjuvantes são ricas em detalhes, os maneirismos de cada personagem, os detalhes nas roupas e na movimentação, tudo trabalhado nos mínimos detalhes. Joel não é nenhum garotão e se move de acordo com sua idade, quando corremos com o personagem, fica bem claro o peso da idade na movimentação do personagem, ao contrário da ágil e habilidosa Ellie quando ela é controlada pelo jogador. As texturas da água também impressionam bem como o movimento dos esporos ou mesmo das folhas no cenário, a variação de estações serve pra enriquecer ainda mais a paleta de cores e a variação das texturas. Na verdade os gráficos e animações estão tão bonitos que muitos estão questionando se existe mesmo a necessidade de uma nova geração tão imediatamente dada a capacidade do PS3 ainda poder gerar imagens tão bem trabalhadas.

A riqueza está nos detalhes dos gráficos do jogo

The Last of Us ainda conta com um modo + após o término da campanha, o que permite se recomeçar o jogo com as melhorias nas armas e habilidades adquiridas durante o gameplay anterior, apenas os colecionáveis voltam do zero. Além disso, o jogo também tem um multiplayer interessante chamado "facções" que funciona como um complemento ao universo do jogo onde o jogador opta por jogar com os Vagalumes ou Caçadores em busca de recursos e mantimentos pro grupo. Cada grupo enfrenta o outro em mapas da campanha principal, a cada adversário morto, mais peças o jogador acumula. Auxiliar os companheiros ou encontrar mantimentos no caminho também aumentam o número de peças acumuladas, o que depois é contabilizado no final da partida e conta como recurso pro grupo de sobreviventes escolhido.

O modo multiplayer complementa o universo do jogo garantindo ainda mais horas de diversão

Por esses motivos e outros tantos, The Last of Us é uma das melhores surpresas do ano. Mesmo com defeitos aqui e ali, o jogo surpreende. Uma trama que inova num gênero já desgastado com tantos jogos e filmes medianos, personagens carismáticos com uma profundidade incomum ainda nos games e conflitos dignos dos mais sofisticados dramas aliados a um gameplay rico e variado tornam The Last of Us um forte candidato a jogo do ano. Se vai vencer ou não, não importa. O que importa é a iniciativa da Naughty Dog em criar um jogo novo, com personagens cativantes, uma trama criativa e um gameplay desafiador e inteligente, sem que se deixe o jogo virar um mero filme interativo, bem como um jogo de tiro descerebrado, e sim uma experiência completa, profunda e significativa. Num mercado onde o mais seguro seria seguir com mais um jogo da franquia Uncharted, a Naughty Dog ousou e nos presenteou com um jogo sensacional. Parabéns pra Naughty Dog e que venham mais e mais jogos como The Last of Us.


terça-feira, 18 de junho de 2013

A história das adaptações que poderiam ser épicas mas faltou capricho ou um review de Star Trek: The Game


A indústria de games criou um clichê no que se refere a jogos baseados em franquias de outras mídias como cinema, TV, livros ou HQs: quase sempre são jogos ruins. A maioria tem defeitos terríveis no gameplay, gráficos, narrativa, falta de inovação... a lista de problemas é tão grande quanto o número de jogos lançados baseados em outras mídias. O problema é que esses jogos tem venda certa pra um determinado público: os fãs. Mesmo que não seja um sucesso em vendas digno de dar orgulho a um Call of Duty, a Activision insiste em lançar jogos medianos de James Bond porque sabe que os fãs de 007 vão querer jogar com o personagem e aí com isso começa o ciclo que gera esses jogos medianos.

007 Legends

A publisher, depois de garantir os direitos da franquia, manda o jogo pra uma desenvolvedora pequena, que vai em um curto espaço de tempo e/ou com uma equipe limitada, entregar um jogo do jeito que der adaptando a franquia em questão, quase sempre um jogo medíocre. A publisher gasta com os direitos da franquia e economiza com a equipe de desenvolvimento e como a venda é certa pros fãs, a margem de lucro pode ser melhor que a de muitos jogos cujo desenvolvimento é caro e o lucro é incerto. Aliens: Colonial Marines é um exemplo de como isso pode dar muito errado, um jogo que muitos esperavam mas que no final decepcionou até os fãs. O RPG de Game of Thrones da Cyanide Studios e da Atlus também, esse ao menos tinha uma boa trama pra agradar os fãs mas o gameplay ficou muito fraco pra fãs de bons RPGs.

Aliens: Colonial Marines

Existem exceções à essa regra vide o trabalho da extinta Lucas Arts com os jogos de Star Wars: apesar de aqui e ali ter um jogo mal feito, eles lançaram clássicos como Rebel Assault, Dark Forces ou mesmo Force Unleashed. O mesmo um dia valeu pra Star Trek quando era a saudosa Interplay quem cuidava dos jogos da tripulação clássica da USS Enterprise. Naqueles tempos jogos como o adventure The Judgement Rites ou o simulador espacial Starfleet Academy eram sucessos de crítica e vendas por serem jogos bem feitos e ao mesmo tempo agradar aos fãs em cheio pela fidelidade ao material original.

Lucas Arts, responsável pelos clássicos de Star Wars nos games

Infelizmente isso quase acontece com o novo Star Trek: The Game. Uma pena ter ficado no quase. Star Trek é um jogo de tiro em 3ª pessoa que lembra em alguns momentos a série Mass Effect apesar de ter a premissa de ser um jogo co-op com Kirk e Spock, lembrando de leve Gears of War. O jogo é inspirado no reboot de J.J. Abrams lançado nos cinemas em 2009 e se passa entre esse filme e o novo Além da escuridão: Star Trek, recém lançado nos cinemas. Os adversários da vez, os Gorn, foram adaptados da série clássica pra manter a coerência com os eventos do reboot nos cinemas. Os fãs da série clássica dos anos 60 podem esquecer o lagarto de borracha que enfrentou William Shatner no episódio Arena e se acostumar com os lagartos sofisticados do game. Os Gorn agora são divididos em classes/espécies, seguindo uma hierarquia de comando, cada um com uma habilidade específica no jogo.

Capitão Kirk enfrenta o Capitão da Nave Gorn na série clássica e 40 anos depois pra promover o jogo

Star Trek: The Game contou com as vozes e imagens de todos os atores dos novos filmes, destacando a captura de movimentos de Chris Pine como o Capitão Kirk e Zachary Quinto como o 1º oficial Spock, os protagonistas do jogo. Mesmo com tudo isso, Star Trek peca nos gráficos e nas animações que mereciam um pouco mais de atenção, são vários os momentos em que a movimentação dos personagens parece artificial ou mesmo os personagens entram em paredes ou passam um através do outro. Um pouco mais de esmero técnico nos gráficos e o jogo seria marcante pela grande quantidade de detalhes e trejeitos capturados das imagens dos atores envolvidos. Os cenários acabam se repetindo aqui e ali apesar de alguns serem realmente bem pensados como a ponte da Enterprise.

Chris Pine dublando Kirk no jogo

No começo, o jogador escolhe entre Kirk e Spock, a jogabilidade deles tem pequenas diferenças nos diálogos e na capacidade de Spock de fazer um elo mental, uma forma do vulcano entrar na mente de outro personagem. Infelizmente no jogo as habilidades de cada personagem praticamente não refletem na jogabilidade em si, a mecânica de hackear dispositivos não é mais fácil pro Spock bem como a mira do Kirk não é mais precisa, ambos tem as mesmas possibilidades de ações durante o jogo, algo que decepciona quem esperava mais. Os dois usam o tricorder, equipamento utilizado em Star Trek como um leitor de informações sobre o local explorado, acesso remoto a outros dispositivos, praticamente um computador pessoal. No jogo o tricorder ativa uma visão que lembra o modo detetive do Batman na série Arkham, revelando itens escondidos, objetivos da missão e pontos de interação. Existe uma árvore de habilidades pra evoluir as armas e o tricorder mas o efeito quase passa despercebido ao longo do jogo mesmo quando evoluídos ao máximo.

Tela de seleção de personagem na versão pra XBOX 360

A  trama começa com um combate frenético contra os Gorn que se revela em seguida um flashforward narrativo, o tiroteio se encerra num conflito entre Kirk e Spock que será explicado mais adiante no jogo. Em seguida a ação corta pra uma estação espacial orbitando um sistema binário, numa fase que funciona como um tutorial onde o jogador aprende os comandos básicos do jogo enquanto é apresentado aos personagens e aos eventos que vão desencadear o conflito com os Gorn. O jogo se divide em capítulos, cada um em um cenário diferente como a estação espacial, Nova Vulcan, uma base da Frota Estelar, a Enterprise, o planeta dos Gorn e a nave mãe deles.

Kirk encarando Gorns nos corredores da Enterprise

Algo positivo no jogo são as mecânicas variadas como as partes em que se comanda a Enterprise ou quando se controla o personagem durante saltos entre as naves ou planando no planeta Gorn, algo que lembra cenas do filme recente e do anterior. Também é digna de nota a parte em que após um elo mental de Spock com um personagem, temos de buscar as memórias dele numa espécie de viagem astral, a cada memória encontrada, uma cinematic revela fatos importantes da trama. Os diferentes minigames de hackeamento também enriquecem o jogo chegando até a ter hackeamentos em co-op. 

Um dos minigames de hackeamento em Star Trek

O problema de todas essas mecânicas é a forma confusa como elas são apresentadas, isso quando são... Comandar a Enterprise seria um grande quick time event, uma sequência onde o jogador tem de apertar determinados botões pra seguir adiante, só que não é o caso aqui, o jogo tenta dar uma liberdade ao jogador no controle da Enterprise mas no fim tudo fica tão confuso que a batalha é vencida sem que se entenda muito bem o que aconteceu. A parte do elo mental do Spock não tem orientação alguma do que se fazer, se o jogador não perceber que deve movimentar a câmera na direção da luz, a tela continua parada na escuridão, sem nenhuma dica do que se deve fazer, o mesmo acontecendo com os hackeamentos. Por mais que se possa pedir pro parceiro hackear um sistema, é frustrante não entender logo de cara como se proceder pra ganhar mais pontos de experiência no jogo. Se bem que os pontos ganhos, quase não ajudam a alterar as habilidades dos personagens, como dito anteriormente. A partir do momento em que o jogador sabe o que fazer em todas essas partes do jogo, a experiência enriquece ficando muito mais interessante, o problema é sofrer até descobrir o que fazer.

A Enterprise em ação

Outro ponto complicado é a inteligência artificial do jogo. Testamos a versão de PS3 do jogo e não tivemos muitos problemas mas tem quem tenha tido problemas como o companheiro virtual precisar de ajuda o tempo todo, entrar na linha de fogo nas horas erradas, não tomar cobertura entre outros problemas durante o jogo. Os Gorn também não são inimigos muito difíceis de se vencer também, algo que decepciona um pouco jogadores mais experientes. Existem itens escondidos e objetos a serem encontrados ao longo do jogo que rendem bônus de experiência e troféus/conquistas mas eles quase não fazem diferença no gameplay, salvo os comunicadores que trazem diários em áudio que ajudam a revelar detalhes da trama.

Esse Gorn não parece feliz...

Mas nem tudo é problema no novo Star Trek. Uma vez compreendidas as mecânicas de hackeamento e o gameplay do jogo, a experiência se torna muito mais divertida. O co-op quando jogado com um amigo local ou online fica ainda melhor. As passagens na Enterprise, os diálogos com os personagens do elenco clássico como o Dr. McCoy, o Scotty, a Uhura, o Chekov e o Sulu animam os fãs da série antiga ou do reboot recente. As referências escondidas, as tiradas de onda com os personagens, os cenários, tudo faz parte desse novo universo alternativo criado com o reboot do filme de 2009. O jogo faz ligação com a série em quadrinhos Ongoing que conta os eventos ocorridos após o filme de 2009 e acaba exatamente onde o novo filme começa.

Kirk e Spock em ação garantem alguma diversão

Star Trek: The Game é um jogo com ideias excelentes mas infelizmente executadas com pressa. Fosse um jogo com mais tempo em desenvolvimento e seria um jogo excelente, não apenas um jogo bom depois de superadas as dificuldades no gameplay. São muitos os exemplos de jogos que mereciam mais tempo de desenvolvimento hoje em dia: Deus EX: Human Revolution teve uma equipe cuidando do gameplay das fases do jogo enquanto outra cuidava das batalhas com os chefes, resultando numa mistura confusa e incoerente. Tivessem dado mais tempo ao desenvolvimento e o jogo seria forte concorrente a jogo do ano em 2011. Algo parecido aconteceu com Star Trek: empolgou muita gente quando apresentado em 2010, fez muitos fãs da série e gamers em geral pensar que dessa vez a maldição das adaptações medianas seria quebrada mas infelizmente, não teve o tempo que merecia, dada a quantidade de boas ideias que apresentou. Ao menos vale como diversão garantida pra fãs ou quem estiver interessado em jogar um co-op diferente, com mecânicas variadas, algo que não tem aparecido tanto nos lançamentos recentes. Pode não ser um clássico... mas diverte.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Enquete de Dia dos Namorados: qual desses jogos você gostaria de ganhar neste dia 12?

Dia 12 chegando... certeza que alguns de vocês já andaram dando aqueeeeeela dica pra namorada de qual jogo gostaria de ganhar. Bom, a Abraão Games tá longe de ser a namoradinha de vocês mas quer muito saber qual desses jogos você gostaria de ganhar neste Dia dos Namorados. Responda e fique de olho em nossa fanpage!



Promoção à vista! Qual desses jogos você gostaria de ganhar neste Dia dos Namorados?
Call of Duty: Black Ops II
Injustice: Gods Among Us
Resident Evil: Revelations
The Last of Us